terça-feira, 1 de junho de 2010

Chamei as madrugadas

Posted by Picasa

Chamei as madrugadas mornas e frescas,
Presas nos sonhos, com teias de luz,
Saíndo de cavernas cheias de segredos
Quais bosques de sombra verdejante
Onde a incerteza é sempre constante

Chamei as madrugadas frias e secas 
Presas nas nuvens desfeitas em sombras
Chamei, chamei mas ninguém respondeu.
E veio a manhã tecendo espelhos de luz
Afastando as estrelas que o olhar seduz

Meus gritos voaram nas sombras da noite
E o olhar se quedou na frescura das fontes
Os gemidos cessaram na passagem do vento
Bebendo o silêncio do meu pensamento
Que sacia a alma e o meu corpo sedento.

Madrugadas lindas brilhando com Sol
Amanhecendo em melodias de amor e paz
Madrugadas que vão e vem em dias seguidos
Renovando os encantos da natureza em flor
E transformando tudo sempre com amor
Luíscoelho