domingo, 11 de julho de 2010

Contradições



O mundo caminha vazio dos valores sociais.
Somos empurrados, maltratados e enxovalhados.
A fome devasta o país dos ricos de mãos sujas
Cerca e limita, corta e recorta a esperança. 
Os povos lutam contra governos porcos 
De injustiças, políticas rotas, promessas marotas.
A Europa é tacho e capacho para alguns senhores
Que falam, ditam e gritam as leis do poder 
Asfixiando as nações e os povos ao seu belo prazer.
Os criminosos andam soltos e são doutores
E os que semeiam a terra e amassam o pão
Não são escravos, mendigos nem impostores
Querem dignidade, paz e justiça com razão.
Aumentam os impostos, as taxas e contribuições
Aumentam a idade de reforma dos trabalhadores
Propõem para si um futuro bom com regalias
Reforma aos cinquenta, boa vida e muitos milhões
E o povo morre escravizado por tantos credores.
Presidentes, assessores, motoristas e batedores
Para o povo nem segurança, nem saúde nem educação
Apenas mais trabalho, mais fome e repressão.
É tempo de dizer aos senhores toda a verdade
É tempo de exonerar quem nos vende a falsidade. 
Luíscoelho