sexta-feira, 10 de julho de 2015

Um poema ao anoitecer


(foto do blogue - Flor de Jasmim )

Um poema ao anoitecer
Faz-se de pequenas carícias,
Gestos que se soltam do olhar.
De palavras simples e míticas
E dos sonhos acorrentados,
Como campos por nós semeados
Pelo sabor das conquistas.

Um poema ao anoitecer
Faz-se na ponta dos dedos,
Desenhando os nossos segredos,
Desejos, sonhos sem medos
E tudo quanto nos faz viver
Nesta vida onde o querer
Será maior que o nosso ser

Um poema de anoitecer
Faz-se de estrelas cintilantes
De amores e de amantes.
São anoiteceres vibrantes
Até os beijos são presentes
Que todos vamos tecer.
Luíscoelho
Julho/2015/10