domingo, 4 de janeiro de 2009

AMOR

Amor
Queria fazer-te um poema
Cantar as músicas que gostas
Olhando no infinito do olhar
Procurando paz elogiando a cor
Perdão Amor isso não sei fazer
Não posso olhar esse azul
Que me atormenta
Nem consigo lembrar as músicas
Perdi-me, andei ausente
Sei que o amor não morreu
Ele vive preso dentro de ti
Mas no meu peito foi abafado
E rasgado por outras escolhas
Estou caminhando à deriva
Como um barco nas ondas perdido
Esperando em bom porto atracar
Ou quem sabe talvez naufragar

luiscoelho