sábado, 3 de janeiro de 2009

Madrugada

Aos poucos a escuridão da noite vai aliviando e lentamente o dia começa a clarear. Este novo ano começou com uma chuva persistente que vai caindo umas vezes com intensidade e outras de mansinho molhando-nos até ao interior dos ossos.
Queria escrever e expressar uma quantidade de pensamentos que me roem e me consomem. Ao mesmo tempo paro e penso:
- Não te percas nisto nem naquilo. Ninguém te vai ler ou dar-te um pouco de atenção! Todos sabem isto e já estão saturados do tema. Paciência! Aos poucos fui teimando e escrevinhando assim quase à toa. Talvez o resultado final se possa aproveitar. Não me caberá ser júri em causa própria....

-A crise económica.

-A guerra no Mundo hoje

As televisões mostraram que houve banqueiros que se aproveitaram das nossas economias depositadas nos seus bancos. Criaram ordenados para si e seus colaboradores incomportáveis alem de outras operações de roubo descarado e sem um mínimo de pudor pelos mais elementares princípios humanos. Viveram vidas faustosas de luxo e prazer que ao comum dos mortais é vedado. Asseguraram ainda verbas, depositadas noutros países, para se libertarem de toda a «Marosca» caso se viesse a descobrir algo mais do que esta aparente calma num país onde nada acontece. Hoje o Estado Português deu-lhe cobertura. Numa operação de charme prendeu alguns dos Gestores implicados. Outros ficaram de fora, embora de rabo entalado. Alguns já foram ministros e secretários em governos passados e recentes. Parece que tem conhecimento cabal de que nada lhes vai acontecer. Daqui a uns tempos ninguém falará destas situações. Pensarão até que tudo foi um normal acontecimento num País onde nada acontece. Na passada semana foi notícia que os gestores Camarários se abotoaram com verbas da Câmara da Capital em proveito próprio e por lá andavam numa impunidade total. Se uns podem porque não outros também.................???
Parece que realmente neste país onde nada acontece está a Saldo. Vendem tudo e depois ninguém sabe onde e para quem foi o dinheiro.
Nomeiam gestores e mais gestores que são pagos a peso de ouro com os nossos impostos sempre a subir e depois o resultado final está à vista de todos.
Contem os gestores da CP - EDP - Segurança Social - Finanças - TAP - Saúde - Educação...
Não digo mais nada pois ainda me cortam os dedos todos por apontar apenas alguns pois seria impossível saber de todos.


A Guerra

Nestes tempos não se pode comentar nem se pode compreender.
É uma situação macabra. Doentia. Funesta. Vil e assustadora como a própria morte. Nunca sabemos se a próxima bomba me liquidará a mim ou aos meus amigos.
Nós não demos o nosso voto para fazerem as guerras. Votámos acreditando que zelariam pelos interesses de toda a População. Votámos acreditando que defenderiam a paz e a concórdia entre os Povos e as Nações.
Com os nossos votos enviaram soldados para o Kosovo, Iraque, Afeganistão......
A guerra está viva nas mentes que vivem em guerra e que a fomentam por todos os meios. Como será possível nos dias de hoje continuarem a pensar e agir como nos séculos passados onde o poder estava associado à força das armas....?
A lei de Talião dizia:
«Olho por olho e dente por dente»
Mas hoje se poderem partem todos os dentes para que nunca mais possam clamar por justiça!