domingo, 8 de janeiro de 2012

João


(foto google)


O meu nome é João. Tenho 10 anos e estou a terminar o 1º ciclo. Os outros meninos falam-me das suas mães.
As coisas que eles dizem são tão bonitas. Já eu...,eu gostava muito que tu gostasses um pouco de mim.
Não sei onde estás nem porque não me queres ao pé de ti.

Durante a noite, chamo por ti. Choro para dormir e faço birras constantes. Há quem diga que sou hiperactivo...
Nesses dias e noites a avó abraça-me e dá-me muitos carinhos, mas estes não são os teus...

A minha existência está a complicar a vida da avó. Ela trabalha muito e priva-se de muitas coisas para que eu tenha as coisas de que preciso.

Às vezes leva-me até o trabalho dela para me distrair. É longe e vamos de autocarro, mas para a minha escola que é mais perto vamos a pé todos os dias.

Custa muito naqueles dias quando chove. Os meus pés nadam na água e logo arrefecem. O frio parece que me corta os lábios e o rosto.

Um dia, depois da avó me deixar lá na minha escolinha, fui esconder-me atrás de uma porta para ver chegar os meus amigos com os seus pais.

Oh mãe, tu não sabes quanto chorei ao vê-los abraçados ao pescoço dos pais...Eram tantos os afectos e eu,...sem pai e sem mãe !...

Escuta-me:
-Não quero roupas de marca nem aqueles brinquedos que custam muito dinheiro. Não sou desses!...

Quero apenas ter o teu colo, poder abraçar-te, sentir o teu calor e aconchego. Desejo tanto adormecer e acordar com o teu beijo...sentir as tuas mãos a aconchegar-me a roupa.

Hoje sentei-me aqui a pensar em ti e porque me deixaste com a avó e o pai. Ele também não tem tempo para mim. Diz ter sempre muito trabalho.

Outro dia, a avó estava tão arreliada comigo, que me disse:
- João, se eu pudesse e soubesse da tua mãe, eu levava-te lá, para junto dela. Talvez assim deixasses de cismar tanto com ela.
Sempre a mesma história...sempre...sempre...é demais...eu já não aguento. Irra...

Pode ser que um dia ela queira vir ver-te!
Que se lembre de ti!
Tem calma, um dia vais ver a tua mãe ou ela virá ver-te a ti...

A avó contou-me que existem muitos meninos como eu e outros ainda pior. Porque será...??

O tribunal entregou-me à guarda da avó. Tu estavas lá e não te revoltaste...será que já não gostas de mim...?

Por favor, vem visitar-me e deixa-me brincar contigo,nem que seja tanto tempo quanto foi aquele em que olhaste para mim no tribunal, sem uma lágrima no teu rosto...

Um beijo do João (teu filho, ainda te lembras ,não lembras?!
Luíscoelho
(texto revisto e rectificado em Janeiro/2012)