terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Domingo à Tarde - 1ªparte






Foto google

Já era mais de meia tarde e hoje ainda não tínhamos saído de casa. O dia estava frio embora não estivesse a chover. 
Aos Domingos à tarde gostamos de dar uma volta. Costumamos dizer: Vamos arejar as ideias.
Gostamos de ir até São Pedro de Moel ver o mar.
Aquele mar imenso que nos enche de maresia e de sonho.

Estacionamos o carro e começamos uma caminhada.
Entre o Mar e a Estrada Atlântica, existe uma ciclovia e ainda um passeio reservado aos peões. Seguimos por aí, respirando a maresia que sobe pelas rochas e nos enche os pulmões. O azul das águas dá-nos as asas da liberdade.
Esquecemos o tempo e as preocupações e vamos namorando como se tivéssemos regressado a 1980, quando nos conhecemos.

Nestes dias apetece-me parar o tempo.
Gostaria de transportar aquela magia que o mar nos oferece e conservá-la viva até uma próxima visita.
O tempo não pára e o Farol no horizonte avisa-nos que está na hora do regresso.  Muitos dias voltamos acelerando o passo. 
Esquecemo-nos de nós e dos nossos afazeres. Uma coisa parecida como quando adormecemos e perdemos a noção das horas. 

Outros Domingos ficamos mais perto de casa.
Vivemos num tempo difícil. Temos de economizar. 
Nestas tardes, ficamos pela cidade e fazemos a nossa caminhada à beira rio. Não somos únicos. Muitas pessoas fazem o mesmo percurso. Alguns caminham com os carrinhos de bebé ou com os cães presos com um açaime. Outros guardam os seus pequeninos que guiam orgulhosamente as "Bikes" coloridas.
Nas tardes de Maio até Setembro, quando os dias são maiores, encontramos por ali  muitas pessoas nossas conhecidas que como nós descobriram o valor de caminhar e os benefícios que nos trás para a saúde.

À beira rio tem bancos para quem quer descansar ou simplesmente ver a paisagem.
Existem ainda aparelhos para melhorar a parte física dos que procuram  mais do que uma simples corrida ou caminhada. 
Aparelhos onde se podem fazer exercícios de musculação e outros de braços ou de pernas. 

A tarde hoje foi assim. Na próxima contar-vos-ei um assalto de que fomos vítimas no parque do Lidil, mas por sorte, saímos ilesos.
 Luíscoelho
Fevreiro/2015