domingo, 13 de dezembro de 2015

Acordei


(foto google)

Acordei com vontade de te escrever,
Dizer-te que o amor em mim não morreu,
Se esmoreceu não sei o que lhe deu,
Mas procurei beber esta sede de ti,
Construindo o altar da nossa felicidade,
Querendo ser parte da tua liberdade.

Acordei em mim tantos sonhos distantes
Sabendo que o amor é um oceano de vida
E a felicidade só é completa se for repartida.
Desenhei a saudade de fazer amor,
Colar-me a ti e semear-te em mim,
Construindo amor sem princípio nem fim.

Acordei-me de recordações passadas
Momentos que rasgam as madrugadas,
Desenhei estrelas que pintam as alvoradas.
Cantei dormindo, voei e sonhei cantando
Momentos de amor que teimo viver
Rios que nos lavram no mesmo querer.

Dezembro/2015
luíscoelho