sábado, 11 de outubro de 2008

Dormindo e Construindo

O pai já tinha iniciado a construção da sua casa e lá andava todos os dias com o pedreiro =Luís Miguel= .
Alguns dias o Américo, seu sobrinho mais velho também dava uma ajuda mas nem sempre podia fazê-lo pois havia em casa de seus pais outros trabalhos a que tinha de dar resposta.
Trabalhavam de Sol a Sol e lá andavam até concluir toda a estrutura da casa.
Para poderem acompanhar a altura das paredes iam fazendo andaimes e como não havia gruas, todos os materiais tinham de passar pelas mãos dos serventes.
Um dia, depois de acabarem o trabalho o pedreiro disse ao pai:
Amanhã não venho pois não há pedra aqui em cima. Respondeu-lhe o pai: Não se preocupe Sr Luís Miguel que quando chegar terá tudo pronto para poder trabalhar.
Foram cada um para sua casa e depois da ceia o pai deitou-se e adormeceu de cansaço.
Quando acordou e ouviu as badaladas no sino da torre da Igreja e levantou-se de um pulo, fez o sinal da cruz e veio logo aqui para a obra.
Carregou o primeiro andaime de pedra até estar quase a rebentar
Mudou esta pedra para o segundo andaime e quando estava a meio desta tarefa voltou a ouvir as badaladas no sino da Igreja e foi contando...uma, duas, três...
Não é possível!
Como é que me enganei e vim tão cedo para aqui. Quem ouvir que ando a trabalhar a estas horas certamente pensará: - Deve estar a enlouquecer........
Já não me vou deitar, disse para consigo. Vou continuar com este trabalho de modo que quando o pedreiro chegar esteja já com o trabalho adiantado.
Moveu as pedras para o primeiro andaime e depois para o segundo e ainda para um terceiro.
Amassou a cal e juntou-lhe areia. Naquele tempo também não havia cimento e a cal que era pedra cozida em fornos próprios que depois era morta juntando-lhe água em grandes poços abertos na terra. Só depois de fazer esta operação se podia utilizar a cal como hoje se vê fazer com o cimento.
Juntar a cal com a areia também era uma operação que exigia bastante força e pressistência.
Quando o pedreiro chegou e viu todos os andaimes carregados com pedra ficou surpreso e disse ao pai: - isto está perigoso, está muito peso em cima das tábuas e eu vou cair com tudo em cima.
- Suba descansado! Disse-lhe o pai que subindo primeiro, e fazendo gestos de que estava tudo em segurança e afoitando-se primeiro ao perigo.
O sr Luís Miguel subiu e foram utilizando aquela pedra nas paredes exteriores.
Felizmente não aconteceu o pior.
O pai contava-nos que muitos dias,depois de dormir um sono, e ficando acordado algum tempo, ia pensando a melhor maneira de executar os trabalhos que tinha de fazer durante o dia.
Dizia-nos com o ar da sua simplicidade: - um trabalho bem estudado resolve-se com mais facilidade e em menos tempo.