terça-feira, 21 de outubro de 2008

Sonos e sonhos

São duas horas da manhã. Acordei e não consigo adormecer sem que esteja um pouquito por aqui desnudando os pensamentos que me enchem a alma .
Queria tanto ser capaz de os expressar de uma forma ordeira e com capacidade de os tornar leves e agradáveis para os que tiverem a paciência do os ler.
Os pensamentos são muitos dias difíceis de domar e de organizar.
Porque nascem alguns homens sem nada e a quem todos negam tudo....? Crescem lutando por nada e vivem procurando apenas um pouco de felicidade.
Muitas vezes quando nas suas vidas começa um sonho por um pedaço de pão alguém se apressa a destruir esse sonho como se a esses nada lhes estivesse reservado ou pior ainda como se a nada tivessem direito.
Esta situação me corroi a alma. Aos adultos podemos dizer lutem e organizem-se mas , às crianças que poderemos nós dizer.......?
Hoje dizem-nos os políticos de fato e gravata = produzam mais e melhor. Sejam competitivos....
Nós responderemos com outras perguntas:
- Onde estão os tais empregos nas fábricas que fecharam e nos deixaram de mãos atadas ?
- Onde estão aquelas escolas com cantinas e onde todas as crianças possam beber um copo de leite e comer um pão que não encontram em suas casas ?
- Onde estão aqueles que em campanhas tudo nos prometeram e nada nos deram....?
Para que nos serve um computador se não tem livros nem cadernos para ler e escrever..?
É fácil enganar quem nada tem e nada pode exigir.
Um país poderá ser pobre, mas se for livre haverá trabalho. Haverá pão e sorrisos no rosto de todas as crianças.
Todos os Governos das nações devem ajudar a construir e reorganizar a vidas dos povos ajudando-os a trabalhar em segurança e com salários de dignidade. Deverão apoiar as fábricas de modo a que elas sejam um meio de vida às populações e não destruindo postos de trabalho e substituindo-o por subsidio de desemprego temporário.
Os governos das nações deverão também ajudar aqueles que se dedicam à pastorícia e à agricultura de modo que possam livremente transaccionar os seus produtos em feiras e mercados como sempre fizeram e de onde provinham os seus magros salários.
Será mais importante criar um burro ou uma ovelha..?
Será mais importante semear os nossos campos com o trigo loiro ou abandona-lo às silvas e todo o tipo de mata..?
Os pequenos que toda a sua vida se dedicaram aos campos, não esperam subsídios mas liberdade de poderem transaccionar todos os produtos que o seu trabalho lhes dá.