quinta-feira, 22 de maio de 2014

O luar de Maio


(foto google)

Neste mês, Maio, os dias foram grandes e as noites passaram depressa. O Sol esteve radiante e a temperatura foi quase de Verão.  
A Lua cheia deu uma claridade branca que encantava as noites e o nosso olhar viajou para lá dos vidros das janelas. O Céu esteve limpo e quase dava para contar as estrelas dividindo-as em grandes rectângulos como se fosse possível limitar a imensidão do Céu .  

No silêncio da madrugada fui ver a Lua. Parecia um amanhecer. Viam-se as sombras das árvores e o recorte das montanhas bordando o horizonte em linhas oblíquas ou verticais de grande profundidade. Parecia uma enorme toalha que caía sobre toda a terra até onde os nossos olhos alcançavam.
Os cães emudeceram e o silêncio era divino.  

Foram três noites de luar prateado. Quadros únicos. Pinturas vivas e de perfeição plena. Cada pessoa podia descobrir novos ângulos ou recortes poéticos que enchiam a alma de harmonia e de cor.   
O luar estendia-se sobre os campos semeados, onde germinavam as sementes num sonho cheio de vida.
Foi bom ter acordado mais cedo. Foi bom ter bebido o encanto do luar e toda a magia que o mesmo exerce sobre nós.
Luíscoelho
Maio/2014