quinta-feira, 22 de maio de 2014

O luar de Maio


(foto google)

Neste mês, Maio, os dias foram grandes e as noites passaram depressa. O Sol esteve radiante e a temperatura foi quase de Verão.  
A Lua cheia deu uma claridade branca que encantava as noites e o nosso olhar viajou para lá dos vidros das janelas. O Céu esteve limpo e quase dava para contar as estrelas dividindo-as em grandes rectângulos como se fosse possível limitar a imensidão do Céu .  

No silêncio da madrugada fui ver a Lua. Parecia um amanhecer. Viam-se as sombras das árvores e o recorte das montanhas bordando o horizonte em linhas oblíquas ou verticais de grande profundidade. Parecia uma enorme toalha que caía sobre toda a terra até onde os nossos olhos alcançavam.
Os cães emudeceram e o silêncio era divino.  

Foram três noites de luar prateado. Quadros únicos. Pinturas vivas e de perfeição plena. Cada pessoa podia descobrir novos ângulos ou recortes poéticos que enchiam a alma de harmonia e de cor.   
O luar estendia-se sobre os campos semeados, onde germinavam as sementes num sonho cheio de vida.
Foi bom ter acordado mais cedo. Foi bom ter bebido o encanto do luar e toda a magia que o mesmo exerce sobre nós.
Luíscoelho
Maio/2014


28 comentários:

  1. Te ler é lindo e passas mensagens lindas nas entrelinhas...Gosto muito! abração,chica

    ResponderEliminar
  2. Retenho: "Quem for capaz de gerir bem as suas economias será sábio, mas quem souber aproveitar os seus dias transformará tudo em coisas ainda melhores."
    Um bonito texto, cheio de sabedoria. Obrigada!

    ResponderEliminar
  3. ~
    ~ Fico sempre muito atenta e interessada, completamente mergulhada no prazer de ler os seus textos.

    ~ Uma belíssima prosa poética que passou a um episódio prático e formativo, porque é necessário educar os jovens.
    ~ Ele nem imagina a sorte que tem por ter trabalho, mesmo em tempo parcial.

    ~ É verdade, o tempo mudou, será que o Maio da nossa esperança vai acabar mal?!
    ~ Por aqui, foi uma tempestade de vento furioso! E, eis-nos, novamente, à espera da bonança.

    ~ Que chegará, sem dúvida alguma.

    ~ ~ ~ ~ Abraço. ~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  4. Não tem havido não!
    não ouvi cantar o papagaio
    amigo Luís, temperatura de verão
    não senti não neste mês de Maio.

    Primavera envergonhada,
    o sol atrás das nuvens escondido
    até parece que está a ser em caminhada
    como os portugueses para o abismo!

    É preciso ter inteligência,
    para gerir as economias
    fazer ginástica ter paciência
    Não só um, mas todos os dias.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  5. Mas o luar voltará em breve a brilhar e você nos brindará com textos belos como este que nos faz suspirar. Meu amigo tenho tres filhos o mais velho e a caçula são muito responsáveis, a caçula então guarda e não gasta nem pro necessário pra si, agora a do meio não tem jeito é mão aberta e gasta supondo que vai ganhar e conseguir pagar, é uma dor de cabeça, ninguém se conforma, mas a vida ensina, beijos Luconi

    ResponderEliminar
  6. UN TEXTO DE PURA ESENCIAS.
    UN ABRAZO

    ResponderEliminar
  7. Andamos sempre desactualizados, eheheh...

    ResponderEliminar
  8. Também adorei aquelas noite de luar seguidas que me fizeram transportar...para o passado.
    Gostei da lírica deste texto e dos conselhos à juventude. Nós também gozamos e diverti-mo-nos mas havia respeito pelo trabalho dos pais e cuidado em não passar das "marcas".
    Obrigada por esta postagem.
    Abraço e bom fds
    Graça

    ResponderEliminar
  9. En mis tiempos de juventud, entregaba todo mi sueldo a mis padres y ellos me daban algo para salir los domingos. Como no me faltaba nada, no deseaba otra cosa que ayudar en casa. Hoy los jóvenes se plantean la vida más superficial y la luna sigue brillando para todos.Hay cosas que no cambian, pero el dinero en un joven, es muy escurridizo y hay que enseñarles lo que cuesta ser un buen administrador del dinero y del tiempo.
    Gracias Luis
    Un abrazo
    Sor.Cecilia

    ResponderEliminar
  10. Caro amigo

    Mesmo que o luar tenha se ido,
    ficou esta lembrança,
    e ainda este precioso texto,
    que nos traz até a inveja boa,
    de tê-lo escrito.

    Que por onde passarmos,
    deixemos o desejo do reencontro...

    ResponderEliminar
  11. Caro Luís

    Excelente texto, com um toque de poesia.
    As belezas da natureza aliadas à boa gestão da vida quotidiana.
    Não esbanjar, pensando no dia de amanhã.
    Muito boa lição.
    Desejo-lhe um excelente domingo.

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  12. Faço as palavras do Fa menor as mesmas que a minha, foi a parte que me alcançou.

    Um forte abraço.

    ResponderEliminar
  13. Respondendo ao seu comentário,
    amigo Luís estou aqui
    com o lindo luar do mês de Maio
    que no seu poema brilhante vi.

    As tuas palavras escritas,
    amigo Luís, lidas por mim
    por causa das falhadas politicas
    cada vez temos menos pilim.

    Haja bruxas ou não,
    verdades há muitas
    escondidas no alçapão
    à solta anda as mentiras.

    Sombras sujas cheira mal,
    bem protegem os políticos
    pois aqui em Portugal
    do que rosas há mais picos!

    Resto de bom domingo, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  14. Antes de te visitar, passei numa Igreja que perguntava à porta de entrada: Quanto custa um pouco de esperança? Nada. Todos nós as temos para repartir com os irmãos. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  15. A luz, Luís, é da luz de Portugal que tenho mais saudades
    Aquele abraço e votos de boa semana

    ResponderEliminar
  16. A poesia no belo texto, aliada à sensatez do cotidiano. Uma excelente lição de vida!
    Que a semana traga luares e boas conversas à mesa, com a família...
    Beijos, Coelho!

    ResponderEliminar
  17. Olá Luís,

    Os dias e as noites de maio têm sido lindos na cidade onde moro (dias brilhantes e noites enluaradas). Dá gosto apreciar a lua pela janela do meu quarto.
    Seu relato sobre as telas dessas noites de maio foi lindamente poético. Refletem a sensibilidade que há em você.
    Gerir tempo e economias é algo que se aprende com o tempo. Os jovens têm urgência de viver e somente pensam no momento presente. Com exemplos e orientação eles vão aprendendo a fazer suas escolhas na vida.

    Ótima semana.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  18. É uma sabedoria tão rente à terra e ao coração que comove verdadeiramente. Viver é uma arte que requer aprendizagens. Os melhores alunos hão-de ser os mais felizes, não duvido.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  19. E não é só o luar, amigo, mas a noite em si, no perfume silente dos véus que guarda...

    um abraço sempre grande

    ResponderEliminar
  20. Um luar pode tirar o folego a qualquer poeta.

    Beijo

    ResponderEliminar
  21. Tal como acontece com a Lua a nossa vida também pode mudar dum momento para o outro e, duma fase alegre e radiosa pode passar rapidamente a triste e tumultuosa. Há que saber gerir a vida de forma prevenir o futuro.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Precioso texto, muy reflexivo. Fue un placer leerte.
    Saludos

    ResponderEliminar
  23. É verdade que o tempo não tem ajudado, mas a magia do teu momento, belamente descrito é compensador do mau tempo desta primavera.
    Conseguistes pura poesia.

    ResponderEliminar
  24. Muit bonitas e cheias de verdade estas palavras.
    Mas, apesar de escondida, a lua continua lá.

    bjs

    ResponderEliminar
  25. Há "Maio's" que nunca se esquecem, chova ou faça Sol, esteja a Lua brilhante ou escondida, Luís! Adorei ler, amigo, como sempre!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  26. Olá, Luis.

    Às vezes, daqui do Brazil, tenho a impressão que os dias, passam mais rápido.

    Abraços

    ResponderEliminar
  27. Lindo texto, Luis! O Maio teve uns dias encantadores de facto, mas agora parece ter-se arrependido e já não terá tempo para nos recompensar; isso caberá por certo ao seu amigo Junho, Quanto à juventude, penso que esse esbanjamento se deve também ao exemplo em casa.; apesar de termos maiores facilidades devemos incutir aos mais novos, desde pequeninos que se deve poupar e isso faz-se começando por não lhes dar tudo o que querem, explicando o motivo. Eles entenderão muito bem e saberão mais tarde que o dinheiro " não cai do céu " Obrigada, Luis por partilhares este belíssimo texto. Um beijinho e até sempre
    Emília

    ResponderEliminar
  28. Aconteceres dum dia a dia, que revivemos cada dia.
    O irregular do Maio, quando ainda se comem as cerejas ao borralho, como engana, como a Lua!
    O dinheiro não é tudo nesta vida, e menos, sem amor fraternal.

    ResponderEliminar

Cada comentário é uma presença de amizade