quarta-feira, 14 de maio de 2014

Medos


(foto google)

Esta manhã apeteceu-me escrever. Parece que às vezes tenho necessidade de escrever. Soltar de mim ideias e personagens que me povoam. Também existem medos. Alguns são tão grandes que ainda não os ultrapassei. Só de os recordar já me assustam.
Existia um papão que vinha agarrar-nos se nos portássemos mal.
Depois falaram-me de Deus que via tudo. Ninguém podia dizer mentiras nem tirar nada aos outros porque Ele via tudo e castigava. 
Acreditei, mas com o tempo, aprendi que esse Deus de que me falavam não estava sempre com atenção. Muitos dias devia estar a dormir uma soneca. Não via os disparates, nem a gravidade dos erros das pessoas mais velhas, dos chefes das nações e de todos quantos viviam à margem das leis - assassinos, larápios, pessoas de má vida…

Não falo daqueles que nos assustavam com a sua voz poderosa e com cara de maus.
Ai de ti se mexes aí...corto-te as mãos...
Então um frio gelado varria-nos de cima abaixo...ufa...
Alguns dias dei comigo a pensar.
- Porque será que este Deus todo poderoso e que só quer o bem das pessoas permite que os pobres continuem pobres e os ricos cada dia mais ricos e exploradores?

Mais tarde disseram-me que Jesus, o Filho amado de Deus, era nosso irmão mais velho e que era nosso grande amigo. Era amigo das crianças, dos jovens e dos velhinhos, dos doentes e de todos. 
Disseram-me que Ele renovou os mandamentos dados a Moisés no Monte Sinai. Os mandamentos são um conjunto de leis que nos ajudam a viver bem com todas as pessoas e respeitar a vontade de Deus.
Mais tarde vi que algumas pessoas vivem segundo os seus interesses e usam uma linguagem de conveniência.
- Uma linguagem - Louvado seja Deus
- Outra linguagem - Venha a nós o que é bom
E ainda uma terceira
- Perdoai as nossas dívidas enquanto nós sacamos a quem nos deve e a quem não deve.

Aconteceu amar este Jesus. Apaixonei-me por Ele e pela Sua vida. 
Acreditei que Ele estava por perto, que me amava e me dava forças para vencer tantos medos. 
Hoje continuo a amar este Jesus. Sei que Ele vive e que é amigo de todos. Jesus ama também aqueles que O insultam e dizem mentiras. Ele ama e perdoa, mas um dia fará justiça. Cada pessoa terá de prestar contas do que fez durante a vida. Depois haverá prémio ou castigo para sempre.
As vaidades deste mundo não passam para o outro lado onde apenas existe paz e amor, ou silêncio e paz.

Existem dias em que me parece que Deus devia castigar muita gente. Gente que vive explorando os povos e as nações.
Pessoas que fazem negócio com o Seu Santo Nome e se servem disso para viverem como príncipes nesta vida…
Devia castigar sem piedade aqueles que têm obrigação de denunciar as mentiras e as falsidades políticas, mas ficam calados por medo ou por conivência.
Acredito que Deus castigará aqueles que O desprezam e que mentindo roubam e matam inocentes.
Deus castigará aqueles que não respeitam a Natureza mas glorificará a todos quantos O amaram e serviram, fazendo o bem a todos os povos.

Luíscoelho
Maio/2014