quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Ensina-me como se ama


(Foto google)

Ensina-me como se ama
Entrando no meu olhar
É preciso que aprenda a ver 
Sem me deixar enganar
E sem nunca te prometer 
O que não te posso dar.

Ensina-me como se ama
Bebendo a luz do luar
Quando os nossos olhos se cruzam
Em danças de marear
E quando as vontades lutam
Num constante navegar.

Ensina-me como se ama 
Neste nosso caminhar 
Os dias nascem formosos
Se amor temos para dar
Mas nem sempre são ditosos
Os que amam por amar.

Ensina-me como se ama
Se para tanto fores capaz
A vida terá mais encanto
Com amor e muita paz
Mas também pode ser pranto
Que o amor nunca desfaz.

Ensina-me como se ama
Com sabor de liberdade  
A vida será talvez um momento 
Assente na dor e saudade
Ou talvez seja um pensamento 
Da própria felicidade. 


Ensina-me como se ama...
Agosto-2014
Luíscoelho