quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Ensina-me como se ama


(Foto google)

Ensina-me como se ama
Entrando no meu olhar
É preciso que aprenda a ver 
Sem me deixar enganar
E sem nunca te prometer 
O que não te posso dar.

Ensina-me como se ama
Bebendo a luz do luar
Quando os nossos olhos se cruzam
Em danças de marear
E quando as vontades lutam
Num constante navegar.

Ensina-me como se ama 
Neste nosso caminhar 
Os dias nascem formosos
Se amor temos para dar
Mas nem sempre são ditosos
Os que amam por amar.

Ensina-me como se ama
Se para tanto fores capaz
A vida terá mais encanto
Com amor e muita paz
Mas também pode ser pranto
Que o amor nunca desfaz.

Ensina-me como se ama
Com sabor de liberdade  
A vida será talvez um momento 
Assente na dor e saudade
Ou talvez seja um pensamento 
Da própria felicidade. 


Ensina-me como se ama...
Agosto-2014
Luíscoelho
  

33 comentários:

  1. Lindo,lindo e com o exemplo e demonstração de amor, se ensina! Belo poema! abração,chica

    ResponderEliminar
  2. ~ ~ ~ Muito belo e encantador. ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  3. Parece ter sido escrito
    para nos ser ofertado

    nesta data, é um poema datado
    (logo saberá porquê)

    ResponderEliminar
  4. Tire todas as suas máscaras sem medo de errar e descobrirá como amar.

    ResponderEliminar
  5. Olá, Luís
    Muito lindo o lirismo...
    penso eu... sabe-se, aprende-se, ensina- se à amar, à partir de como amas a si.. fazer da felicidade do outro, a própria felicidade...
    Bom dia,Obrigado pelo carinho, belos dias,abraços!

    ResponderEliminar
  6. un texto bello y muy reflexivo.
    un abrazo

    ResponderEliminar
  7. Amor e liberdade necessariamente conciliáveis.
    Um grade bj querido amigo

    ResponderEliminar
  8. Um belo poema sobre como aprender a amar.
    Gostei muito, amigo Luís.
    Desejo que esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  9. Muito bom mas tens que dar aquele "passo" na ilustração.
    Regista num papel ou imprime as etapas ;)
    Abraço.

    ResponderEliminar
  10. luís,
    Normalmente não gosto de poesia.
    Mas adoro ler o que o luís escreve.
    Acho que é a melhor maneira de descrever o que sinto quando leio os seus poemas

    ResponderEliminar
  11. Por vezes o amor escapa-se por entre os dedos, como quando se aperta um punhado de areia...
    é preciso ter as mãos abertas para amar.
    :)
    Bjos

    ResponderEliminar
  12. O amor é uma coisa maravilhosa e o Luís sabe como bem o definir.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Um desafio que me lançaram, ao qual respondi e que a ti deixei, aproveitando assim para divulgar o teu espaço

    http://sonhosdesencontrados.wordpress.com/2014/08/21/onze-perguntas-onze-respostas/

    Abraço.

    ResponderEliminar
  14. lindo, principalmente para quem ama e é amado...

    ResponderEliminar
  15. Não precisas aprender, só quem sabe do amor tem a sensibilidade para nos brindar com este poema.

    ResponderEliminar
  16. Tem razão, meu amigo.
    Quando se ama e se é amado a vida tem
    um sabor divino. Merece ser vivida em todo
    o seu esplendor.
    Adorei o poema. É liiiindo! Brinde-nos com
    mais poemas desses...

    Grande abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  17. Sendo o amor o mais afável dos aprendizados, cada estrofe é uma lição e tanto.

    Gostei muito, Luís. Parabéns!

    Saudoso abraço!

    ResponderEliminar
  18. Passada a fase de aprendizagem podem ter outro tom essas ensinança...

    Algumas palavras beijam-nos
    Como se tivessem lábios, boca,
    Plenas de amor, de esperança,
    Dando sentido a uma vida louca.

    Palavras nuas que beijam.
    Quando a noite o rosto oculta.
    Palavras que se rejeitam,
    Para evitar uma disputa.

    De repente coloridas
    Entre palavras faltas de cor,
    Esperadas, imprevistas,
    Como a poesia ao amor.

    Palavras que nos levam
    Onde a noite recobra vida,
    Ao silêncio dos que amam
    Abraçados na despedida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo, nada tem que ver, com o poema de Alexandre O'Neil, isto é obra única de Joaquim Duarte. Pode parecer, mas quantas versos adquirem sons quando a canção é outra. Será que me leu ele a mim?! Sabes muito bem a quem estão dirigidos estes versos.
      Tenho varios poemas ao amor, para o próximo livro, já comecei com a maqueta.
      Aqui deixo mais um... acabado de traduzir...

      CONTIGO

      Contigo navego en un mar calmo
      de proyectos, ¡el de mis anhelos!
      Casi toco el cielo, cuando un palmo
      de esperanza ilumina mis desvelos.

      Quiero estar recostado junto a ti,
      percibir tu aliento, ¡cual frenesí!
      palabras que luchan por nacer...
      por ver la luz de otro amanecer.

      Quédate para siempre a mi lado,
      necesito contemplar tus miradas
      y el susurrar de tus palabras…

      sentir tu calor, tu olor, tu sabor,
      embebidos en pétalas de amor,
      gotas de sudor de tu cuerpo mojado.

      CONTIGO

      Contigo navego num mar calmo
      De projetos, o dos meus anelos!
      Quase toco o céu, quando um palmo
      De esperança ilumina os meus desvelos.

      Quero estar recostado junto a ti,
      Perceber o teu alento, qual frenesi!
      Palavras que lutam por nascer...
      Por ver a luz doutro amanhecer.

      Fica para sempre ao meu lado,
      Necessito contemplar as tuas miradas
      E o sussurrar das tuas palavras...

      Sentir o teu calor, o teu olor, o teu sabor,
      Embebidos em pétalas de amor,
      Gotas de suor do teu corpo molhado.

      Para ti, como sempre, um abraço amigo

      Eliminar
    2. Peço desculpa pelo engano bem como pelo facto de ter eliminado o comentário que originou toda esta situação.

      Eliminar
  19. Olá,Boa tarde,Luís
    agradecendo pelo carinho,obrigado, belo final de semana, abraços!

    ResponderEliminar
  20. Boa noite, amigo Luis,
    Um poema maravilhoso que é uma verdadeira cartilha de como saber amar.
    No entanto, as promessas de amor são tantas e tais que, nesse ardor, nunca pensamos que são demais.

    ResponderEliminar
  21. Quantas e quantas lições o amor pode dar! abração

    ResponderEliminar
  22. Um belo poema de amor, que já traz em si muitas lições, eu adorei, aprender a amar é sempre alegria para o coração, abraços Luconi

    ResponderEliminar
  23. Será que alguém pode ensinar como se ama? Ou como se escreve poemas bonitos como este? Duvido...

    Bom final de semana, Luís

    ResponderEliminar
  24. Também eu aqui encantada com toda a sensibilidade contida na profundidade dos teus versos Luís e como inesgotáveis são as lições do amor a gente está sempre aprendendo dia após dia como amar...Grande abraço fraterno!

    ResponderEliminar
  25. Olá....mulher abençoada.....

    Seu espaço é encantador....amei...
    te seguindo posso? espero que sim....
    desejo voltar mais vezes e com calma..
    par apreciar ,ler ver seus mimos...que capricho....
    que sua semana seja de paz.....beijos !!!

    ResponderEliminar
  26. Lidacoelho pode ser entendido como feminino mas o autor é masculino - coelho .
    Chamo-me Luís, tenho 67 anos e nunca pensei em mudar de sexo.
    Para terminar bem agradeço a gentil visita.

    ResponderEliminar

Cada comentário é uma presença de amizade