sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Vai e deixa-me só


(foto google)


Agora tenho medo, tanto medo
Parece que me persegues
Que te aproximas e me levas neste enredo. 
Queria ver-te sem que me visses,
Seguir-te sem que me descobrisses.
Agora, tenho medo do teu olhar.
Parece que entras dentro de mim,
Que me devassas a alma e o corpo
Que roubas o meu espaço
E não me deixas respirar.
Queria ouvir-te silenciosamente,
Beber o som das tuas palavras.
Imaginei-te dentro de mim
Construí-te como gostava de te ver
Desenhei-te nas formas do teu ser.
Mas agora que estás perto, tenho medo,
Tanto medo que penso fugir de ti,
Esconder-me muito longe daqui e de mim. 
Este medo já me farta e nos afasta, 
Parou o meu coração e o sonho.
O sangue solidificou a razão. 
Não te aproximes mais,
Deixa-me morrer sozinho.
Que o meu silêncio me baste
E que esta dor se aparte.........
Luíscoelho



38 comentários:

  1. Sublime, meu caro Luís, sublime!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Lindo medo nessa poesia...abraços,chica

    ResponderEliminar
  3. Amigo Luis Lindissimo, mas não deixes que esse amor se vá deixa o medo para trás, eu sei que é poesia, mas esse medo ficou lindissimo.
    Um abraço
    Santa Cruz

    ResponderEliminar
  4. Esse é o medo de amar de novo, de sentir tudo outra vez,,,de sofrer tudo outra vez,,,forte abraço de bom final de semana pra ti amigo.

    ResponderEliminar
  5. Perfeito poema. Lindo!
    Não tenhas medo, se jogue, se arrisque.....amor é assim, não dá para guardar, tem que partilhar, compartilhar, se um dia acabar é porque tinha que acabar, quem poderá saber se não será para uma vida inteira?
    Um beijo meu poeta amigo.
    Elzinha

    ResponderEliminar
  6. Muy hermoso tierno muy sublime precioso sentir querido Luis muy bonito poema.
    Abrazos y besos de colores que tengas un feliz fin de semana.

    ResponderEliminar
  7. O medo que nos alerta, que nos paralisa.....medo de amar e se entregar, medo de sofrer, medo, medo, medo...medo de ser feliz...
    Profundo poema amigo!

    Abração e Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  8. UN TEMA QUE SALIÓ DESDE EL ALMA.
    UN ABRAZO

    ResponderEliminar
  9. O medo sempre acompanhando a nossa existência. O medo de amar de ser feliz de viver.
    Gosto dos seus poemas.
    Deixo-lhe o endereço de uma página onde pode consultar o regulamento de um concurso de poesia para o caso de querer concorrer.

    http://camposcentrocultura3.wordpress.com/2011/06/15/concurso-de-poesia-a-poesia-no-encontro-do-tempo/

    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  10. Ah, amigo Luiz, este é o amor do poeta: platônico e doído. Aliás, nas três últimas postagens você fala de amores complicados... ou das complicações do amor. Não servem para mim: prefiro arder menos e ter um pouco de paz, a esta altura da vida. Abraço, Angela

    ResponderEliminar
  11. Amigo Luís um poema simplesmente maravilhoso.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  12. LUÍS

    MAGNÍFICO POEMA.
    Os meus parabéns!!!

    Tenho andado ausente dos blogues dos amigos, logo agora que diz:
    "...deixa-me só..."
    é que eu venho desinquietá-lo.

    Ora bem
    dá gosto cá vir
    e encontrar um poema tão belo e profundo

    Esse é o medo de amar de novo,
    de sentir tudo outra vez
    de sofrer de novo
    faço minhas as suas palavras.
    Também eu não quero voltar a passar por isso outra vez.

    Hoje convido-o
    a visitar algo que
    ...acredito que não conheça ainda.
    Espreite e logo verá!!!

    Uma zona tão bela e romântica,
    muito bonita.

    Juro-lhe
    para mim foi mais um
    "MOMENTO PERFEITO!

    Um forte abraço.

    ResponderEliminar
  13. Amado irmão Luís Coelho,

    Suas palavras tocaram meu coração. Concordamos que o dom da vida é um mistério que retrai e se revela. O dom da vida é Deus em sua totalidade, é a esperança que nos agarramos no combate as nossas adversidades. O dom da vida e simplesmente sentir o agora, e recordar o ontem é sonhar com o amanhã.
    Sobre seu poema realmente é belíssimo. O medo, a insegurança fazem parte da vida...

    Abraços de luz

    ResponderEliminar
  14. Amor, sublime amor! Com medo, ou sem medo, vai adiante, amigo! Solta as amarras, pois amar sempre valerá a pena. Beijocas.

    ResponderEliminar
  15. Repetindo a frase: Graças a Deus é sexta-feira e amanhã posso descansar. As emoções quando tomam conta das pessoas dizem essas coisas, um poema bonito e pleno de sentimentos.Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  16. Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  17. Hola Luis:
    Mil gracias por haberte pasado por mi blog, eres bienvenido alli.
    Te agradezco que me hayas dado a conocer tu espacio, es bellisimo lo que escribes, excelente juego de palabras para tener como resultado un hermoso poema
    Un saludo

    ResponderEliminar
  18. Esos miedos que nos acompañan!!!!

    Dejo mis cariños y deseos de buen fin de semana!!!!

    ResponderEliminar
  19. Dor e extremo sentimento. Causaste-me uma inquietação interior que estou afogada.Fortes palavras.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderEliminar
  20. Por que temer o amor
    se te abraça com louvor
    são tuas horas querida
    a te encher de carícias
    é luz em vida é calor...

    A ânsia do querer sem poder?
    podemos sim
    os sentimentos são flores
    a despontar em jardim
    Só precisa ser regado, receptivo
    amor doado, obstáculos não
    é o fim.

    Salte-os, te sentirás novamente criança a desfrutar com esperança
    a vida sorrindo pra ti...

    Bem sei...
    Todos nós vivemos devorados pela necessidade de ser amados, mas o medo está na insegurança de amar.

    Tenha um excelente fim de semana

    Abraços

    Livinha

    ResponderEliminar
  21. Lindo poema!
    Em matéria de amor o risco sempre vale a pena.
    Tenha um ótimo final de semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  22. Bela poesia. Escreves belos textos. Parabéns.
    Concordo com você ao comentar. seria louvável se as drogas não promovessem tanta escravidão. É fato a fraquesa humana no processo gradativo de desumanização em massa, nos mais variados aspectos sociais sempre insociáveis.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  23. Siempre existen los miedos, hemos de superarlos, lindo poema.

    Besos.

    ResponderEliminar
  24. As escolhas fazem parte da Vida
    Há o tempo de semear e de colher
    Somos livres pra bem ou mal viver
    O amor é nosso ponto de partida.

    Neneca Barbosa

    Bom Domingo e feliz semana à todos!
    Beijos de coração prá coração...M@ria

    ResponderEliminar
  25. Medo cando se acerca, cando vemos que está preto de nós...o amor e a mesma morte que nos acecha,aínda que fuxamos delas son esas cousas que mais cedo ou mais tarde ...nos chegan sen poder evitalo...

    Beleza de verbas pero tristonas.

    Un bico.

    ResponderEliminar
  26. Oh, Estimado e Fabuloso Amigo Sublime:
    Escreve com fluídez e de gigante talento que partilha de forma fantástica com as pessoas.
    Já tinha saudades da sua pura amizade que é recíproca.
    A sua magia literária transcende de pureza e beleza, acredite?
    Tem a magia dos grandes pensadores.
    Abraço amigo de respeito, estima e consideração pelo seu talento gigantesco e enorme.
    Sempre a admirá-lo e a lê-lo com atenção pelo valor que possui em si e no que escreve admiravelmente.
    Grato pela preciosidade humana que é e significa para todos nós.

    pena

    Excelente!
    Bem-Haja, pelo seu ser divinal e perfeito.
    Simplesmente, notável.
    Adorei.

    ResponderEliminar
  27. Um poema belo mas recheado de medos e de receios de uma entrega total e absoluta.
    A fuga nada cura ou remedeia
    Há que parar para pensar e interiorizar o momentos.

    Gostei imenso

    bom domingo

    beijinho da gota

    ResponderEliminar
  28. Maravilhoso momento.
    O medo,... sempre o medo! E na interação, a vontade de ficar só.

    Nos nossos dias, a solidão é uma constante da vida.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  29. Maravilhoso momento.
    O medo,... sempre o medo! E na interação, a vontade de ficar só.

    Nos nossos dias, a solidão é uma constante da vida.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  30. oi Luis,

    o medo não é bom companheiro,
    quando ele insiste em nos acompanhar,
    nos afasta da felicidade,
    prefiro mantê-lo longe,
    que me acompanhe,
    que me observe,
    mas a distância...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  31. Fabuloso este poema caro Luis...
    se me permite, li-o de duas formas..o fugirmos de nós próprios qd alcançamos a tal maturidade que nos assusta porque analisamos o que somos...ou qd alguém de quem gostamos e que se afastou, pretende voltar, a angústia que nos provoca sentir que já nada (ou pouco) reconhecemos nessa pessoa!!!
    abraço

    ResponderEliminar
  32. Uma bela semana pra ti meu amigo...abraços..

    ResponderEliminar
  33. Oi Luis,
    A separação é sempre dolorosa, mas as vezes a única saída pra corações atormentados.
    Belo poema.
    grande abraço.

    ResponderEliminar
  34. Meu querido Luís

    Simplesmente maravilhoso este poema...um ser e não ser...um querer e não poder, adorei e deixo o meu beijinho.

    Sonhadora

    ResponderEliminar
  35. Medo de sofrer? Os medos só estragam a vida...não podemos deixar-nos escravizar por eles...ou ficamos com uma pena trancada na garganta lamentando tudo o que deveríamos ter feito e não fizemos...há que ser mais ousado e arriscar...
    Nada de morrer sozinho...só se morre uma vez na vida...e quando acontecer será para sempre...

    ResponderEliminar
  36. Luís como te disse gosto de vasculhar gavetas e encontrar textos mais antigos, e este seu é muito lindo, retrata muito bem a alma humana, que tem medo da felicidade, tem medo de arriscar, então se arma todo e perde a oportunidade, pois tudo tem o seu momento certo, beijos Luconi

    ResponderEliminar
  37. Grande Luís!
    Passei pelo teu blogue (tenho andado um pouco ausente, por fata de tempo) e dei com esta pérola!
    Belo poema! Excelente final!
    Um abraço!

    ResponderEliminar

Cada comentário é uma presença de amizade