terça-feira, 4 de novembro de 2008

As minhas mãos são a arte de trabalhar
No barro, na pedra ou nos campos.
As minhas mãos são encanto e são magia,
Que afagam e acariciam, alimentam e saciam.
As minhas mãos me doiem de tudo entender,
Mas que muito pouco podem construir
Fazendo a beleza e a arte renascer.
Como são felizes estas mãos que seguram o pão
Que o bebé levantam e ao velhinho sustentam.
As flores que florescem nas mãos que ensinam
Que ditam e que pintam quadros da vida.
As minhas mãos, as tuas e todas as mãos
Que marcam e tecem as melhores roupas
No coração de todos os que amam a liberdade
A justiça e a igualdade e tambem a fraternidade.
Mãos juntas a orar e outras a suplicar
O perdão e o amor, o sorriso e o calor
Para todos os que procuram o caminho da Verdade
Mãos juntas que se estendem por um pouco de Pão.

luiscoelho