domingo, 9 de novembro de 2008

Imaginação

Hoje estive a ler durante uma boa parte do dia. Passei por diversos blogues e encontrei coisas maravilhosas. Não vou comentar nada, apenas me obrigo a dizer que sou muito pequenino neste mundo virtual, e que, se tivesse esse dom,escreveria com todo o brilho e força que as palavras devem ter.
Muitos dias parece que queremos dizer algumas coisas que nos moiem cá por dentro, mas não encontramos as palavras certas e mesmo depois de vermos o que ficou escrito não nos parece bem. Talvez se possa dizer por outras palavras. Talvez as coisas pareçam melhor se forem ditas de maneira diferente.
Pergunto ainda se quem lê entende exactamente aquilo que se escreveu. Poderá um pensamento ser melhor entendido do que isso mesmo??
Costuma dizer-se que contra factos não há argumentos.
Gosto muito de ler e de descobrir no pensamento dos outros aquilo que me quiseram dar. Sim, ninguém se põe a escrever só por escrever. Quem tem o dom da escrita tem sempre um fim, ainda que remoto - que os outros leiam, e que entre si troquem opiniões.
Que belos são os poemas que um dia alguém construiu vendo-os como estradas abertas para que todos possam amar, sonhar, viver, sorrir ou até chorar combinando os seus sentimentos aos de esse alguém que os escreveu.
Há histórias contadas, como se da primeira pessoa se tratasse. Seguimos a linha de pensamento e estamos quase a ver como tudo vai acontecer. O suspense das situações, as frases inacabadas, os projectos que se desenham na imaginação de cada pessoa que lê e estuda.
Os relatos de guerras e ódios, de terramotos e de perseguições políticas.
Em quantas dessas crónicas nos perdemos e imaginámos fazer justiça com as próprias mãos como se fossemos os mais poderosos e nos fosse possível resolver as Guerras por esse mundo.