quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Queria beijar-te




Queria  beijar-te
Com a suavidade do vento
Que corre livre como o pensamento
Ou como orvalho da manhã
Cristais puros de vida sã. 
Queria abraçar-te
Com os raios de Sol 
Iluminando as madrugadas 
E transformando-as em alvoradas 
Queria olhar-te
Para alem da alma
E sentir a força de viver
Que está em ti sempre a renascer
Queria ouvir-te
Palavras de amor
Com sinceridade e muito calor
E ainda as outras que silenciamos
Quando por amor as guardamos.
Queria falar-te 
Tudo quanto sinto
Dizer que te amo 
E que por amor não minto
Luíscoelho