segunda-feira, 4 de maio de 2009

Manhãs Pensativas

Os meus pensamentos atropelam-se desordenados
Muitos dias não consigo descrevê-los como os sinto,
Cantá-los para melhor os viver e recordar amando
Chorá-los no silêncio da partida que eu não consinto.
Poderia pegar num só pensamento e desenvolvê-lo
Ainda que fosse absurdo pouco importa a definição,
Faria um estudo programado até à última solução
Veria o tempo a castigar-me nestas coisas sem razão.
Ainda assim a minha luta não dá tréguas a ninguem
Nem deixa de pesar nesta bela e profunda procura,
Para alguem que ama poderá ser arte dispersa em rimas,
Para outros que nada querem entender será loucura.
Escrevendo os sentimentos me esvasio cá por dentro,
Mas não sabendo nunca explicá-los como entendo,
Assim como não poderei dar esta dor a mais ninguem,
Tudo faz parte desta vida e com tudo isto me prendo.
O silêncio das palavras me pesa na hora da partida,
Aquelas que não disse mas estavam nestes pensamentos
Carregados dessa mágua muito clara e bem sentida
E sem querer se desfazem como ventos por momentos.

luiscoelho