quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Esperança

Muitas madrugadas lidas
De poemas e prosas tecidas
Na alvorada que os dias acordam
Sonhos belos, simples e pequeninos
Como uma criança a renascer.
Querendo um dia ser alguém
Amar, construir ou ir mais alem
Nas coisas que a vida mostra
Nos sonhos como nascentes
Transformados em correntes
De desejos e alguma sorte.
Destino, estrada ou caminho
Fado, sorte em pergaminho
E tudo faz com muita arte.
Parte na aventura da esperança
Tão pura no olhar desta criança
Procurando longe e perto
Quanto seu coração alcança.
luiscoelho