domingo, 20 de setembro de 2009

Maquina nova

Todos os dias faço uma caminhada. Ás 13horas como uma sopa e se ninguém me prende na conversa ou se o assunto não me desperta interesse subo um pouco a rua e começo a caminhada descontraída e compassada, para baixar o colesterol e manter o ritmo cardíaco.
Comigo levo sempre esta fiel companheira para o que der e vier.
Gosto de fotografar alguns cantos que me parecem ser únicos e me deixam entusiasmado.
Estas flores são tão pequeninas e mantiveram esta beleza, durante todo o Verão, encravadas na encosta do Castelo.
Outros dias surpreendem-me as ruínas perdidas nas ruas da cidade e com mais frequência ainda aquelas casas antigas onde vivem ainda sonhos e traços dos tempos passados.
Nem todas as fotos saem perfeitas e também não tenho os ângulos certos dos profissionais.
Irei publicando todas as que se relacionarem com o tema exposto de modo a tornar este espaço mais agradável e convidativo.
Se alguma coisa não correr tão bem, não será certamente por falta de boa vontade.