terça-feira, 29 de setembro de 2009

Noites frias

Noites frias sem luar
Que me fazem navegar
Pelo Céu cheio de estrelas
No escuro a cintilar.
Seu encanto me seduz
Pelo brilho e pela luz
Pela vida a renascer.
E assim fico a pensar
Como se fosse uma estrela
La no Céu sempre a brilhar
Ou como um barco perdido
Neste mundo a navegar.
Nesta vida de mudança
Procurarei as estrelas
As mais vivas e mais belas
Para que tragam de novo
A razão deste viver
De andar sempre a tecer
Um manto de amor e paz.
Noites frias sem luar
Devem sempre iluminar
As razões do bom viver
Com mais fé e confiança
Neste mundo de mudança.

luiscoelho