quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

laranjas



Posted by PicasaEm 1984, quando nasceu o meu primeiro filho, plantei algumas árvores. Esta é uma delas. Deu frutos logo no segundo ano. Pouco lhe falta para os trinta anos. Está alta e bonita.
As laranjas começam a ficar maduras em finais de Novembro e são muito saborosas.
Cavei a terra à sua volta, podei-lhe os ramos interiores para que o Sol  e o ar circulassem livremente entre os ramos.
Há poucos anos construímos-lhe uma parede circular com quarenta centímetros de altura.
Protege as suas raízes e serve-nos de banco para as tardes quentes de Verão. No meio encheu-se de terra fértil e fez-se um lindo canteiro de flores.
É muito agradável sentarmos-nos ali nas noites quentes de Verão. Ela parece gostar de nos ouvir conversar. Coisas nossas, cá de casa, preocupações de todos os dias. 
Sendo verdadeiros estes pensamentos então esta árvore é uma boa confidente. Ouve, mas nada conta, a ninguém.  
Comparativamente o meu filho também mudou.
Deu-nos muito mais trabalho e ainda muitas preocupações. 
Os caminhos da educação são assim.
Não dá sombra, mas dá-nos o carinho das palavras e afectos.
Já tem já as suas raízes estendidas permitindo-lhe viver a sua própria vida.
Os ramos interiores, nunca puderam ser podados. Neles, apenas pudemos fazer, alguns enxertos de valores que permanecem através do tempo e das gerações.
Os seus olhos de um verde acastanhado vibram com os amigos leais e enche-nos de orgulho quando ainda nos pede um conselho ou nos oferece uma ajuda.
Gosta de se apresentar sempre bem arranjado, com gosto e elegância. Trabalhámos para que a sua roupa interior fosse ainda mais importante = honra, respeito, amizade e camaradagem..../....
Não posso nem devo fazer comparações . Apenas a idade lhe serve de termo de comparação.
Gostaria que os seus frutos fossem ainda mais doces e reconfortantes e que fosse rico de boas práticas, boas palavras, com trabalho e uma família excelente.
Os anos vindouros serão o nosso juiz pelos princípios que lhe demos e os valores que lhe transmitimos. A sua liberdade fará o restante.
luiscoelho