quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

lágrima

Uma lágrima perdida
No teu rosto gelado
Escondia em silêncio 
O teu o teu grito calado
Morrendo levemente
Sem ninguém entender
Porque se escondia 
Sem ninguém a ver.


Uma lágrima triste 
No teu olhar transparente
Desfazia-se no brilho 
De uma estrela candente
Que corria apressada
Num sorriso encantador
Abraçando-nos a todos 
Em afecto e amor


Segurei esta lágrima 
De tão doce sabor
Que no teu rosto brilhava
Com o mais fino amor
luiscoelho