quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

manto estrelado

Olhei para o Céu perdido de azul
Na distância maior de que fui capaz
E vi as estrelas brilhantes e nuas
Mostrando-se sempre num brilho fugaz
Recordando os caminhos por onde andei
Me trazendo de volta aquilo que dei 


Encontrei a Lua muito devagarinho
Branca e simples de brilho esmaltado
Sacudindo  as nuvens com seu ar alado
Olhou-me de frente com muito carinho
Atirou-me um manto escuro estrelado
Para me esconder dentro destes versos
Onde moram as dores e todas as mágoas
Daqueles que choram os dias adversos


Escondido no manto me senti navegar
Bebi o conforto das estrelas no ar
Com a luz da lua sempre a namorar
luiscoelho