quarta-feira, 31 de março de 2010

O amor não tem medida



O amor não tem medida
É tudo quanto se dá
Uma mão cheia de nada 
Com o coração a transbordar.
Sabes quanto gosto de ti
Disto não podes duvidar
Olha-me assim como sou
Sem te querer enganar.
Este amor é verdadeiro,
Leal e muito sincero,
Como simples mensageiro
Só vai até onde eu quero.



Os teus olhos são perfeitos




Se me vês sem falsidade
Mas logo nascem defeitos 
Quando renasce a maldade.
Assim redobro o meu canto
Para os teus olhos cativar
Não renoves o meu pranto 
De não te poder amar.

luiscoelho