sábado, 2 de janeiro de 2010

Anoitecer

O vento frio e gelado
Anoiteceu os pensamentos
Arrastando-os lentamente
Em ondas furiosas
Que se debatiam serenamente
Nas rochas invisíveis dos sentimentos
Mas continuavam presentes
Em tantos desejos ardentes
Revolvendo íntimos segredos
Habitando-nos como presas.
As ondas de maior ausência
Voltavam sempre ao passado
Dos nossos planos secretos.
O cansaço venceu 
A dor daqueles momentos
E adormecendo sonhou
Coisas lindas de outros tempos. 
luiscoelho