sexta-feira, 17 de abril de 2009

Reviver

Procuro nesta madrugada as palavras
Que se adivinham por semear no tempo
As que rasgam os céus com vendavais
E as que transformam correntes e rios
Que passam por mim e me levam ao cais
Onde ficaste ancorada no meu pensamento

Os gritos que ardem no meu coração
Roubam aos poucos o brilho da voz
E me vai matando numa luta constante
Que me trás perdido nesta guerra feroz
Não te quero esquecer nem por um momento
Nem aquela luz do teu olhar brilhante

Nas feridas abertas pela saudade do tempo
Mais preso me sinto no amor que vivemos
Os carinhos recordo como fios de lamentos
E aqueles pensamentos que nos acordavam
Tudo saboreio em recordações perdidas
E no passar do tempo nunca serão esquecidas

luiscoelho