domingo, 26 de julho de 2009

Caminhando

Caminhado sem pressa no campo deserto
Descobri o meu amor junto à mansa fonte,
De águas muito puras, cristalinas gotas,
Correndo em bica lenta, pausada e triste
Que minha sede deixaram esquecida
E no peito me abriram maior ferida.
Queria beber dessa água transparente e pura
Que corre em gotas de encantos mil
E que meus lábios incendiaram de loucura.
Se pudesse pelo menos molhar a sede
Refrescá-la e adormecê-la nesta corrente
Que vai pingando e caindo copiosamente.
Caí na terra húmida das tuas lágrimas
Procurando uma só gota de esperança.
Procurei o cheiro do perfume encantador
Desse amor que foi ficando na lembrança.
Acordei molhado, gelado e triste e abraçado
Por tantos dos meus sonhos acorrentados
Que no tempo e aos poucos foram levados

luiscoelho