segunda-feira, 13 de julho de 2009

cantar a vida

Neste dia a terminar escrevi por brincadeira
Aquilo que me lembrou e que veio a calhar
Romances, fadigas, desgosto e canseira
Tudo quanto a minha pena sempre quis anotar
Aquilo que aconteceu foi bom e veio por bem
Como a sorte acontece àquele que a não tem.
Não quero ser pensador nem fazer filosofia
Apenas quero cantar a vida com alegria.
Gostava de ensinar que nos devemos amar
E quanto mais amasse mais ainda possa dar.
Ninguém me pode dar aquilo que já é meu
Nem eu pretendo roubar aquilo que já é teu.
Se nos respeitarmos sempre com muito rigor
Viveremos em paz, em concórdia e amor
Haverá saúde e pão e alegria nos corações
Mas se ainda achares pouco haverá outras razões.
luiscoelho