domingo, 5 de julho de 2009

luar de esperança

Olho a lua brilhando nas noites de solidão
E lhe faço uma súplica por minhas mãos
Recurvadas em prece e profunda oração
Nascendo do fundo da alma e do coração.
Olho a lua nas noites claras de luar
E lhe envio o desejo de viver e amar
Sem tempo a perder e sem nunca parar
Nesta luta constante que tudo quer abraçar.
Mas o luar se apaga com tristeza e agonia
Nestas horas longas de pesar ou de alegria
Só lhe peço que me cubra com seu manto
E que leve para longe a dor e aquele pranto
Que a saudade me trás em cada dia.
A lua brilhando no olhar de cada criança
Me ensina a amar com fé e esperança
E aceitar cada dia de mudança
Numa crescente e total confiança.
Este luar brilhando suavemente
Alumiando os lençóis onde me deito
Que se esconde de dia sem arte nem jeito
Mas que eu canto com a força do peito

luiscoelho