segunda-feira, 6 de julho de 2009

poetas

Ser poeta é ser marinheiro
Neste mar de amar a cantar
As coisas que temos no peito
Escrevendo-as sempre a rimar.
Nas ondas dos meus pensamentos
Navego de velas ao vento
Procurando um porto de abrigo
Onde possa cruzar-me contigo
Perdidos na espuma do mar.
Ser poeta é amar sem querer,
É sofrer sem compreender,
É esconder-se na vida e não ser
Um marinheiro de amor a valer.
Ser poeta é nada entender
Mas é sobretudo amar com paixão
Aquele amor sem explicação
Que tem a nascente no coração.
Ser poeta é sobretudo perceber
Que o coração tem razões
Que a razão nunca pode entender

luiscoelho