domingo, 26 de julho de 2009

Chamando alegremente

Andei por aí te chamando alegremente
Subindo aos montes e alongando a vista
Descendo aos vales e sempre te procurando
Neste querer que nos faz amar sem cessar
Acreditando que voltarias mais rapidamente.
Olhei as águas transparentes dos regatos
E nelas apenas vi o Céu e as estrelas cintilantes.
Deixei-me escorregar naquela água lentamente
Que a tua sombra me escondiam certamente
Molhando a alma e seguindo na corrente
Mas nada arrefecia o amor desta paixão
Que me mata e me arrasta nesta dor e solidão.
Passei horas, passei dias nesta luta e sofrimento
Como foi duro e muito triste aquele tempo.
Caminhando sempre ao sabor desta loucura
Que faz das nossas vidas do amor uma procura.
Olhei para lá dos montes para ver se se te ouvia
Mas a tua sombra fugia nas águas frescas e frias
Destes ribeiros que correm quer de noite quer de dia.
Nunca perdi a esperança nem a coragem abalou
Mas uma certeza ficou - o nosso amor não acabou!

luiscoelho