sábado, 4 de julho de 2009

Lua

A Lua formosa e arredondada vai no ar
Arrebatando pela a noite o meu olhar
Que fica preso, pensativo e a mirar
Aquela luz a que chamamos de luar.
Olhando para cima construímos
Pensamentos de poetas e pensadores
Sabedoria do povo e construtores
E agonia dos desencantados de amores.
Porque vais assim tão rápida e altiva
Fazendo-nos andar por aí e a cantar
Esse luar prateado que nos quer enganar
E por amor também nos faz penar ?
De tantos pensamentos ao luar
O meu olhar de cansado adormeceu
E os sonhos me levaram ao Céu
E vi que o brilho é do Sol e não é teu.
A Lua é uma deusa ou moira encantada
Que anda perdida , desmaiada e nua
Esconde-se da minha vista e da tua
Mas tanta imaginação é sempre sua.

luiscoelho