sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Palavras

No silêncio das palavras nunca ditas
Guardadas no túmulo frio das recordações,
Arrancadas lentamente em catadupas
E movimentadas por lutas e contradições .
As frases renascendo formam cordas,
Parecem vultos saindo da escuridão,
Agarram-se como pedras mortíferas
Que atiradas à toa matam sem razão.
O barulho das palavras inúteis e em vão
Ensurdecem o silêncio matando a paz,
Mergulhando em mistérios sem razão
Aquelas vidas que o amor já não apraz.
As palavras são flores simples e reluzentes
Colhidas em jardins de amor e sinceridade,
Caindo em cascatas finas e transparentes
Daqueles que as usam com sabedoria e verdade.
Pedi a Deus palavras mais justas e bonitas
Para dizê-las a todos sem cor ou educação.
Mostrando ainda que o amor e o carinho
São palavras vivas e com muita animação.

luíscoelho