quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Alvorada

Madrugada de luz e de paz
Quando os olhos serenos se abrem
Nas emoções que nos trás.
Veio a alegria e o amor ficou
Querendo dizer no papel
Toda a força que lhes dou
Madrugadas frias e quentes
Vividas no tempo e nas mentes
Amando a vida assim como sou
Cantando estes pensamentos
Perdidos na noite e no tempo
Madrugadas de amor e carinho
Que nos acordam de mansinho.
Manhãs feitas sonhos de menino
Que transformam a noite
Nas mais belas alvoradas.
luiscoelho