quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Silencio perdido

O silêncio corre perdido
Atravessando espaços
E cortando ventos
Amando e ferindo
Recriando pensamentos.
O silêncio de um olhar
Perdido de inquietações
Que a distância pisa
De tantas perturbações.
O silêncio tortura-nos a alma
De guerras e violência
De fome envergonhada,
De dor vivida em desgarrada,
De perdas e tritezas sentidas
Carregadas de dor nas partidas.
O silêncio marca o tempo
Que o tempo de silêncios já fizeram
E em cadeias de palavras nos prenderam
No silêncio esquecido de amor
Mastigando as palavras mais queridas
Revivendo só as datas pela dor.
luiscoelho