domingo, 8 de novembro de 2009

vem comigo

Vem comigo,vem agora!
A saudade me aperta,
Nem sei o dia, nem o mês,
Nem tão pouco a hora.
Os sentidos me mordem
Quero que tu, só tu e eu
Agarrados os acordem.
Vem, vem agora não demores.
Abraça-me, beija-me.
Afasta os meus temores.
Esta ansiedade é dura
Me gasta de saudade
Me consome, confunde
E destrói a amizade.
Vem beijar-me e abraçar-me
Naqueles carinhos gostosos.
Esquece as pedras das ruas
Tão secas, tão frias e cruas.
Lava-me no suor do teu corpo
Para que o sinta e não minta
Que estou vivo e não morto.
luiscoelho