sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Andarei no tempo

Andarei por vales e montes
Como sombra suave e silenciosa
Percorrendo na aragem do vento
Os ribeiros e as belas fontes
Vivendo a saudade do tempo
Passando pela mocidade graciosa

Andarei com Sol escaldante
Ou no silêncio fresco das manhãs
Percorrendo na brisa do mar
O areal fino e reconfortante
Onde vivemos de alegrias sãs
Que sempre nos irão acordar

Andarei no silêncio das noites suaves
Correndo no tempo de muitos entraves
Recordando as imagens esquecidas
Vivendo e amando um passado ausente
Como um presente que esta vida consente
Num amor que se renova constantemente

luiscoelho