quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Os dias correm seguidos

Os dias correm seguidos
Passando no tempo veloz,
São rios de águas frias
Que brotam dentro de nós,
São nascentes e correntes
Carregados de nostalgia
Que vão morrendo sem voz
Nestas madrugadas frias.
Os dias nascem meninos,
Fugindo a medo da noite
Procuram outros destinos
Levados na força do vento
Desfeitos a cada momento.
São elos de aço em correntes, 
São espadas de luz feridas,
São as coisas mais queridas
Que no tempo vão sendo perdidas.
luiscoelho