sábado, 5 de dezembro de 2009

Contaram-me

Contaram-me que José e Maria
Se amavam com muita ternura
Que esperavam um filho com alegria
E que o seu amor era esperança futura.

Contaram-me que viram um anjo
Que lhes falou deste belo menino
Seria guardado pelo Santo Arcanjo
E seria senhor do seu próprio destino.

Contaram-me que foram recensear-se
Lá longe, em Belem, uma outra cidade
Sentada na burrinha sem poder apear-se
Maria vivia e sofria com naturalidade.

Contaram-me que o menino nasceu
Numa gruta habitada por outros animais
E que os Anjos cantaram à luz do Céu
Com tanta ternura sem terminar mais.

Contaram-me que a triste jumentinha
Ali se quedou com profundo respeito
E deixou de comer aquela palhinha
Para que fosse a cama do Filho Eleito.

Contaram-me e acreditei com lealdade
Que vieram visitá-Lo os pastores e os Reis
E Jesus lhes sorriu com grande bondade
E crescendo ensinou com sabedoria novas Leis

Contaram-me, fui feliz e em Deus acreditei
luiscoelho