domingo, 13 de dezembro de 2009

Procuro-te

Procuro-te na noite
Morna de cansaço
Sinto o teu perfume
Embebedar-me de esperança
Fria  e nua no espaço
Onde juntos fazemos a dança.

As valsas são balanços
Secos e frageis de candura
Que as mãos seguram  
Numa entrega e numa procura
Que os nossos corpos segregam
Na mais bela e doce loucura.

Procuro-te e desejo-te
Mais que os sons perdidos
Destes acordes leves e mornos
Que agitam os nossos sentidos.
Quando os nossos olhos se cruzam
Se olham e com amor se beijam
luiscoelho