segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

noites frias

Noites frias
Humidas de suor
Cansadas de dor.
Noites esquecidas
Vividas na esperança
De mais amor.
Noites mansas
Que tecem
Pequenos mantos
Que nos aquecem.
Noites claras
Cheias de luar
A despertar
O Deus Menino
Tão pequenino
No seu Presépio
A convidar
A nos amarmos
E respeitarmos 
Com liberdade
Luiscoelho