domingo, 6 de dezembro de 2009

Barril


Posted by Picasa
Que saudades do meu barril
Que transportava às costas
Naquelas tardes de Verão
Conservava a água fresca
Passando de mão em mão.
Tua história não sei contar.
Encontrei-te abandonado
Já sem asas e quebrado.
Dei-te cama no jardim
Onde podes ser lembrado.
Colhias água na fonte
Muito pura e transparente
E com a mesma simplicidade
Saciavas toda a gente.
Gostaria de recompor
O teu gargalo tão bonito
E a pega de alto a baixo
Lembro-me bem como eras
E das coisas que diziam 
Mas por ti nada foi dito
luiscoelho